EN PT
+55 11 5571-2525

Viajante Cia Eco

Soraya e Luciano

O desejo de conhecer Los Roques já existia há uns três anos quando ouvi relatos de conhecidos que já tinham ido. De lá para cá li algumas reportagens em revistas e bastante dicas em blogs de viagem, o que foi imprescindível. Além disso juntei as minhas necessárias para ir do Brasil até Caracas e assim diminuir os custos.

Vale destacar que este não é um destino fácil de ir por conta própria, pois Los Roques é um parque nacional, com restrições de infra e a Venezuela ainda não está bem organizada para o turismo (como outros locais no Caribe como Cancún, Punta Cana, etc). Mas ainda assim penso que é um destino que vale muito a pena de conhecer, pois Los Roques é extremamente preservado, rústico e paradisíaco. É como dizem ser, as Maldivas da América. Organizar a viagem por uma agência de turismo faz diferença.

Ficamos 7 dias no arquipélago, tempo ideal na nossa opinião. Foi possível conhecer não somente as ilhas mais próximas a Gran Roque (Francisquí, Madrisquí, Crasquí), como também passeios para pequenos bancos de areia desertos e para os extremos da barreira de coral (Bajo Fabian, Cayo Muerto, Cayo Vapor, Sebastopol, Espenquí, Cayo D'água, Carenero), lugares fabulosos.

Fizemos muito snorkel e num dia fizemos mergulho. Cada lugar tem o seu valor e é diferente do outro. Das praias com restaurante, nossa preferida foi Crasquí. Para snorkel, adoramos Cayo D´água (tb considerada uma das mais belas), Carenero e todo o trajeto até chegar a Sebastopol (onde avistamos arraias de cima do barco, muitas estrelas do mar e lindos cardumes de peixes papagaios). A visibilidade e a quantidade de vida marinha é incrível! Passar algumas horas em um pequenino banco de areia perdido no mar também foi sensacional! Recomendo levar uma camisa de lycra de manga comprida para o snorkel. Como a areia é muito branca, mesmo com protetor solar se queima bastante.

Ficamos na pousada Natura Viva que é uma das melhores e uma das mais caras também. Mas valeu muito a pena. O pôr do sol no terraço de lá é maravilhoso! Mas é como dizem, a pousada de luxo em Los Roques é equivalente a uma boa no Brasil. Água quente para banho e ar condicionado são considerados itens de luxo por lá. Assim, para quem for de casal, recomendo gastar um pouco mais com a pousada para se ter mais conforto e curtir a viagem de forma mais romântica.

Conhecemos outros brasileiros por lá (agora já maioria a visitar o arquipélago) e umas italianas que também recomendaram a Villa Caracol, La Cigala e a pousada Malibu.

Vale lembrar que Los Roques é um destino para quem quer curtir a natureza preservada, com muito sol e sossego. Para quem procura baladas, infra de resort 5 estrelas, comodidades tecnológicas, praias tipo Ipanema e Jurerê Internacional, definitivamente lá não é o lugar. Fizemos vários dos passeios com o marinheiro Chino, um local super gente boa, divertido e uma espécie de guia turístico. Ele é o dono do barco Espenquí. Para quem quer uns passeios mais personalizados e profissionais, vale a dica!

Dois lugares que não fomos, mas que recebemos ótimas indicações são: Boca de Cote (para mergulhar, barreira sul) e Los Canquises (é uma reserva, mas passando por lá dá para avistar os flamingos que contrastam com o degradê verde-esmeralda e azul-turquesa das águas do arquipélago).

Como dicas finais recomendo: muito protetor solar (fator 50 no mínimo), beber muita água (pode parecer banal, mas não se tem muita sede por lá e insolações são mais que comuns) e levar uma boa câmera fotográfica para registrar a perfeição do caribe como veio ao mundo.

Abraços, Soraya